>

Cadê a Copa?

maio/2018

Estamos em maio e aqui vale o por que da atual pasmaceira em relação à Copa do Mundo, se falta apenas um mês, junho está próximo. Dia 14/06 a bola já estará rolando.

Em outros tempos, antes do choque de realidade do 7x1 e da desesperança dos brasileiros com suas instituições chafurdando na lama da lava jato e pagando o pato das gestões desastradas da administração pública, nesta época do ano a Copa do Mundo já era mote para muitas campanhas publicitárias e até o marketing de emboscada tirava sua lasquinha driblando as normas da FIFA com ações criativas. E anúncios no clima.

Ao que parece os brasileiros estão se lixando para a Copa do Mundo e o mercado percebendo a baixa temperatura não aposta no entusiasmo popular, que não mais existe no sentido de somos todos verde-amarelos. Difícil para qualquer estrategista de marketing medir o sentimento do brasileiro, leia-se do consumidor, em relação à Copa do Mundo atual. O que parece é que pela primeira vez o mercado publicitário trabalha com planos alternativos e talvez a Copa não seja o plano A.

Faltando um mês para o início do certame que nos lembra fracasso da seleção, corrupção na construção dos estádios, desvios de dinheiro no evento aqui realizado, em 2014, escândalos da FIFA e que não nos lembra nada de positivo associado a essa marca__ COPA DO MUNDO___ parece que o mercado aguarda antes de agir, a direção do vento que bem pode ser ameno, como uma frente fria.

Mas, nunca será o mesmo clima de envolvimento e engajamento do consumidor vivenciados no passado.

Nelson Cadena

Nelson Cadena

Colunista

Escritor, jornalista e publicitário.
Mais artigos

Gestão, a prioridade da saúde em 2019

O fim do ano é um período em que pessoas e organizações se planejam e traçam os projetos para o novo ciclo que se inicia. Na área da saúde não é diferente, sobretudo em um ano com tantas mudanças. O que acontece na esfera política, por exemplo, tem influência direta...

ler mais

A bunda de Papai Noel

Passei a semana olhando a bunda de Papai Noel. Todo mundo olha a barba e a barriga, repara no gorro e na cadeira onde está sentado, olha de soslaio para a decoração em volta, mas ninguém repara na bunda. Para corrigir esse imperdoável desleixo é que fui de shopping em...

ler mais

Quociente espiritual: o terceiro quociente humano

Em estudos mercadológicos e diagnósticos organizacionais que realizei nos últimos anos, venho observando “algo especial” permeando o discurso de lideranças de grandes empresas. Até início do século XX, o QI (quociente de inteligência) era a referência para mensuração...

ler mais

O que você quer ser quando envelhecer?

As conquistas da ciência e da tecnologia alteraram os ciclos da vida humana. As estatísticas comprovam exaustivamente como, ao longo do século 20, décadas de vida foram agregadas a nossa existência. A finitude foi deslocada para a frente: estamos em plena revolução da...

ler mais

Antecipação precoce

Vivemos antecipadamente o que deveria ter outro tempo. Tornou-se uma prática tão comum que mal nos damos conta disso. Antecipamos o natal com os shoppings center exibindo as suas decorações de época desde a última semana de outubro; antecipamos o Black-Friday na...

ler mais

Como criar uma seita em oito passos

Há quase trinta anos que trabalho com grupos em organizações pelo Brasil. Uso os óculos teóricos da psicologia do trabalho e da antropologia para compreender e decifrar os problemas de relacionamento internos das tribos empresariais. Tenho observado uma atmosfera...

ler mais

junte-se ao mercado