>

nov/2018

“A Bahia é o centro de criatividade do Brasil e o Scream, é o da Bahia.” A declaração é do publicitário Nizan Guanaes, em sua participação no sábado, 24, fechando a programação técnica do Scream – Salvador Creativity and Media Festival – que atraiu mais de cinco mil pessoas ao Centro da cidade, em dois dias.

Em sua apresentação, Guanaes fez uma apaixonada defesa do estado, afirmando que eventos inovadores como este ressaltam a importância do Centro Histórico de Salvador e da Bahia para a cultura, história e economia do Brasil.

O publicitário fez uma das participações mais concorridas dentro do festival que teve painéis diversos e contou com dezenas de grandes nomes da indústria criativa de atuação local, nacional e até internacional.

Abertura

A abertura oficial, na sexta-feira 23, no Fera Palace Hotel, contou com a presença do prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto, do presidente da Saltur (Empresa Salvador Turismo), Isaac Edington, da presidente da ABMP, Ana Coelho, entre outras personalidades.

img02

Para o prefeito ACM Neto, a economia criativa sempre foi objeto de debate e agora a cidade começa a organizar essa discussão com foco econômico, com o objetivo de gerar emprego, movimentar a economia e produzir negócios. “Salvador é reconhecida no mundo inteiro pela capacidade da nossa gente de produzir cultura, arte, e tudo isso é uma grande indústria. Nossa intenção é começar a organizá-la, dar força e garantir que ela possa gerar ainda mais resultado econômico. É o que se pretende fazer a partir desse evento”, disse.

A presidente da ABMP, Ana Coelho, comemorou o sucesso do festival. “Foi surpreendente, com muitas provocações e participações de alto nível. O engajamento e envolvimento das pessoas também foi incrível. Tivemos uma diversidade de público, estudantes, artistas, profissionais de mercado, todos unidos pela mesma causa, desenvolver a indústria criativa na Bahia”

 

Diversidade

Os temas em debate passearam por uma diversidade de assuntos, enriquecendo a experiência do público e permitindo diferentes olhares sobre a atividade criativa. Foram tratados temas como “O futuro da mídia”, “Inteligência artificial” e “Fronteiras do audiovisual”, passando por “Empreendedorismo feminino”, “TV Aberta”, “Universo do e-sports”, chegando a discussões sobre “Uso medicinal da Cannabis”, “Identidade e pertencimento” e “Representatividade de Gênero e Raça na Publicidade”, entre tantos outros.

Passaram pelos espaços palestrantes como Bob Wollheim (Much More/YouPIX), Isabel Aquino (Heads), Fábio Freitas (FCB Brasil), Ken Fujioka (Ada Strategy), Pedro Tourinho (Soko), Antônio Mazzafera (Fera Investimentos), Diego Oliveira (Youpper), Patrícia Santos (Empregue afro), Jéssica Tauane (Gorda de Boa), Raul Santa helena (Petrobras), Fabrício Lemos (Restaurante Origem), Lucas Reis (Zygon), Tarcízio Silva (IBPAD), Fábio Duarte e Bruno Duarte (Fit Dance), Duda Magalhães (Dream Factory) e Carol Ayres (Humana), entre outros

“A Bahia é uma grande produtora de pessoas criativas e a gente queria juntar os daqui com as de outros lugares. A ideia é fazer uma discussão produtiva, que transforma, além de conectar pessoas nesses dois dias de evento”, explica a curadora do Scream Festival, Potyra Lavor.

27

Outro convidado de destaque foi Cleber Paradela, vice-presidente da Sunset Comunicação. Ele falou sobre “Futuro inteligente: os próximos 20 anos, trazendo para discussão nossa relação cotidiana futura com a tecnologia. “A tendência é que, em um futuro próximo, todas as coisas em nossa casa passarão a ter a tecnologia smart, como hoje já vemos garfos, copos e escovas de dentes inteligentes”. O palestrante trouxe detalhes de itens como roupas, acessórios acoplados ao corpo e até mesmo preservativos smart, que calculam .dados sobre saúde e performance física.

Mitos

30Em sua participação sobre “Inovar em tempos de crise”, a Fundadora e CEO da Kickante, Candice Pascoal, desmentiu alguns mitos que circulam no universo empreendedor. Ela apresentou estudos segundo os quais 80% das inovações empresariais dos últimos dez anos foram executadas por pessoas de fora do mercado. “Todo mundo começou exatamente onde você está. Não existe super homem nem mulher maravilha, tá todo mundo tentando, todo mundo no mesmo barco”, afirmou.

Ana Cortat, co-fundadora da empresa do laboratório de pesquisa Hybrid Colab, falou sobre o engajamento social do mundo corporativo, através da diversidade, ética e economia em sua palestra “Vozes do mundo: ética, diversidade e economia circular”. Ela apresentou a importância e os dados da produtividade de um grupo de trabalho diverso. “Pesquisas afirmam que equipes homogêneas são mais fáceis de gerir, porém elas não atingem os mesmos resultados de um grupo com pessoas de diferentes realidades”, destacou.

02O presidente da agência Tudo, Maurício Magalhães, fez uma palestra bastante concorrida. Ele falou sobre o tema “Criatividade gera riqueza? E na Bahia?”. O publicitário falou que vivemos um momento de revolução e que no centro desta revolução estão questões como tecnologia, criatividade, empreendedorismo e sustentabilidade. “Essa questão da criatividade é uma das mais interessantes do ponto de vista da valorização do talento humano. Só que criatividade em si não é nada se ela não tiver uma aplicabilidade, se não gerar riqueza e valor. Meu ponto de reflexão é se realmente a gente está aproveitando um dos maiores ativos que a gente tem na nossa sociedade, que é a capacidade criativa. Se isso de fato está gerando valor”, questionou.

 

 

New Blood

O Scream também realizou, por meio do CCBA (Clube de Criação da Bahia), o Prêmio CCBA New Blood, que teve mais de 40 peças inscritas. A premiação foi direcionada exclusivamente para estudantes de publicidade que concorreram com um anúncio ou pôster criado para a ocasião, com tema “criatividade baiana”.

 

Os vencedores foram a dupla de estudantes da Faculdade Anísio Teixeira, Luan Alves e Gabriel Guerreiro, que levaram o troféu CCBA Ouro; a Prata ficou com Danilo Machado Santos Passos, do Centro Universitário de Salvador; e o Bronze, com os estudantes Xarde Maciel Santos e Êmile Santos de Jesus, do Centro Universitário Estácio.

Além dos Prêmios Ouro, Prata e Bronze, também foram anunciados os donos dos outros seis melhores pôsteres da categoria Shortlist, que ficarão expostos na galeria New Blood do site do CCBA.

 

Ocupação

Nos dois dias, o Scream Festival contou com uma ocupação na Praça Castro Alves promovida em parceria com o Coreto Hype que montou uma programação gratuita de exposições, atividades culturais, feira, food trucks, galeria criativa, Acroyoga, oficinas de Krav Magá, Mágico Dragon, entre outras atividades. No local, foi realizada também apresentação do grupo Quabales, Batalha de Ideias e os Dj´s Roger ´n Roll e Lu Muhana; shows do Afroelétrico, de Davi Moraes e Pierre Onassis, e da banda Diamba.

O Scream Festival foi uma realização da ABMP (Associação Baiana do Mercado Publicitário), que comemora 20 anos de atuação em 2018, em parceria com a Prefeitura de Salvador, por meio da Saltur (Empresa Salvador Turismo). O evento ocorreu simultaneamente em três espaços próximos: Teatro Gregório de Mattos, Espaço Cultural da Barroquinha e Fera Palace Hotel.

O festival teve como patrocinadores Sebrae, Caixa, Rede Bahia, TV Aratu, SBT, TV Record, TV Band, A Tarde, Zygon, Uranus, Kallas e Fera Palace. Contou com apoio do Aratu Online, Nova Lapa, ZM, Editora Globo, Sinapro Bahia, Ampro Live Marketing, APAP Bahia, CCBA e Central de Outdoor. Parcerias com Coreto Hype, Espaço Cultural da Barroquinha, Teatro Gregório de Matos, Somos Coletivo Criativo e Texto e Cia.