>

Eleições quase limpas

out/2018

O atual processo eleitoral pode não ser tão limpo assim, mas, convenhamos as ruas das cidades estão mais limpas do que em pleitos anteriores, nos livramos tudo indica que para sempre, das placas e armengues de propaganda eleitoral que tomavam conta das principais ruas e avenidas da cidade; a Paralela era um terror, em especial nos dias em que o vento jogava para dentro da pista as ditas cujas.

Avançamos nesse particular de cidade limpa, sem placas e sem cartazes e pichações nos muros. Entretanto paramos no tempo em relação a algumas ações promocionais que foram eficientes nos anos 80 e 90 e hoje por que não são mais inovadoras, caíram no lugar comum, e por que são mal ativadas não funcionam.

Um exemplo típico dessas ações de marketing ineficientes é o das promotoras de rua, mal humoradas e mal pagas, carregando bandeiras lavadas, produzidas com fornecedores de baixa qualidade, algumas sequer ondulam. Ninguém mais presta atenção nessas ações, é dinheiro jogado fora e os candidatos nem se dão conta disso.

Nem as carreatas conseguem ser tão empolgantes como em eleições passadas. Sobram figurinos sem graça e falta criatividade e material de merchandising vistoso, alegre. O processo eleitoral está na UTI do ponto e vista do marketing eu por várias razões, inclusive as limitações da legislação, não encontrou novos caminhos. Todas as cartas são jogadas nos programas gratuitos da TV e nas atuais eleições na rede fake eu diziam seria combatida, mas ninguém combate por que o fake quem alimentamos somos nos.

Cidade quase limpa ainda bem . A sujeira ficou para as redes sociais.

Nelson Cadena

Nelson Cadena

Colunista

Escritor, jornalista e publicitário.

Mais artigos

Como criar uma seita em oito passos

Há quase trinta anos que trabalho com grupos em organizações pelo Brasil. Uso os óculos teóricos da psicologia do trabalho e da antropologia para compreender e decifrar os problemas de relacionamento internos das tribos empresariais. Tenho observado uma atmosfera...

ler mais

Responsabilidade Social é um compromisso individual

A responsabilidade social é um compromisso de todos. Ao assumirmos isso, o exercício da cidadania sai do campo da teoria e vai para a prática. Afinal, todos podemos realizar ações em prol do coletivo. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e...

ler mais

O consumidor real: você sabe com quem está falando?

Pensamos uma coisa e fazemos outra, desejamos o que não precisamos, fugimos do que desejamos, acumulamos coisas e descartamos pessoas. É nesse contraditório mundo intrapsíquico que se produzem os comportamentos, inclusive os de compra. Em tal conjunção, como definir o...

ler mais

Mentira, fake news e pós-verdrags

A manipulação de sofismas e falácias desafiou o mundo de Sofia, desde os primórdios. Grandes mentes conseguiram decifrar os vestígios do blefe e os truques da mentira. Sócrates, o gigante de Atenas, preferiu sorver o cálice da verdade enquanto os sofistas, artistas da...

ler mais

O resgate pela resiliência: o caso dos Javalis Selvagens

Era o dia 23 de junho, o time dos Javalis Selvagens havia acabado a partida de futebol. Um almoço festivo os esperava na casa de um dos integrantes do time para cantar parabéns. Mas eles convenceram a Ake, o técnico do time, a darem um passeio de bike na direção das...

ler mais

20 anos da ABMP

Toda entidade de classe nasce de uma necessidade, ou, de uma provocação. A ABMP nasceu das duas. A necessidade foi a de se constituir uma entidade que reunisse todos os segmentos da comunicação. Existia um precedente, a AP-Bahia (sigla de Associação de Propaganda da...

ler mais

junte-se ao mercado