Entrevista: Guilherme Guimarães – VP de Marketing do DAZN

fev/2020

” O DAZN busca revolucionar a forma como consumimos esporte no mundo. Temos planos de crescimento ambiciosos – estamos no caminho para estar em 20 mercados até o final de 2020 ”                                                                                                                                                                    

                                                                                                                                                                          

 

 

 

Guilherme Guimarães é o VP de marketing do DAZN no Brasil, multiplataforma de conteúdo esportivo em streaming, que fornece transmissões ao vivo de diversas modalidades no mundo. O executivo, com mais de 15 anos de experiência no desenvolvimento e implementação de estratégias de marketing e digitais, promoções e eventos, relacionamento com clientes, parcerias e prospecção, já foi consultor de negócios dentro do ramo esportivo, head de esportes no Twitter Brasil e liderou a operação do Strava no país.

 

 

 

ABMP: Ao fornecer conteúdo ao vivo, especializado, acessível em qualquer lugar do mundo e multiplataforma, o DAZN Brasil torna-se um marco da comunicação no país. Para assistir uma partida de futebol do campeonato japonês, por exemplo, basta fazer login e acompanhar os lances via streaming. Diante de algo tão novo, como o público vem reagindo a esta novidade?


GG: 
Sabemos que o futuro da visualização dos esportes é OTT (over the top; serviço de streaming) e que as experiências pessoais e interativas são o que os fãs desejam. A receptividade do público tem sido muito positiva, uma vez que proporcionamos a eles a opção da escolha do conteúdo ao transmitir vários eventos simultaneamente, com uma variedade de dispositivos, pois o fã pode assistir através do celular, tablet, televisão, videogame, entre outros.

 

ABMP: Do final de 2018 até o presente momento, o DAZN está seguindo a estratégia de se aliar a canais de televisão, exibindo partidas de futebol em forma de permuta. A transmissão do Brasileiro Série C, na Band Nordeste, e do Campeonato Italiano e Copa Sul-Americana, na Rede TV! são exemplos disto. Essas estratégias ainda mostram que as emissoras detêm o poder de comunicação/penetração com o grande público?

GG: Como disse, o futuro da visualização dos esportes é OTT. Estamos mudando o hábito de consumo e isto leva tempo, não é de uma hora para a outra. Através das emissoras de TV aberta conseguimos alcançar um público que ainda não está familiarizado com esse novo modelo. Faz parte da nossa estratégia de crescimento ambiciosa, que tem mostrado resultados desde a chegada do DAZN ao Brasil. Além disso, dessa forma, aumentamos a exposição de nossos parceiros e proporcionamos novas fontes de receita para a empresa.

 

 

ABMP: Além de transmitir partidas em emissoras de televisão, quais outras ações publicitárias e de marketing foram realizadas para a divulgação do DAZN no Brasil? E como os anúncios estão sendo comercializados?

GG: Chegamos ao Brasil com um trabalho robusto de marketing, contemplando campanhas online e offline, sempre conectados aos nossos direitos mais relevantes e embaixadores, Neymar, Cristiano Ronaldo e José Mourinho. Também trabalhamos próximos aos clubes e demais instituições esportivas, para ativações que nos aproximam ainda mais dos torcedores.

 

ABMP: Enquanto as emissoras de televisão apostam na contratação de ex-atletas e promoção de conteúdos que misturam esporte com humor, o DAZN segue o caminho de absorver os jornalistas que estão saindo desses veículos, promovendo conteúdos mais embasados jornalisticamente, como o Sem Filtro e o Premier League Show. Essa narrativa de nadar contra a corrente é proposital?

GG: Queremos continuar na expansão e trabalhando um conteúdo original forte posicionando o esporte como entretenimento, mas sem perder a força editorial e informativa. Já criamos algumas séries originais (“The Making Of”, “Saudade”, “Sem Filtro”, “Bruno Soares: Vida em Dupla”) que foram muito bem recebidas pelos assinantes. Recentemente, lançamos também o “Virada de Mesa”, em parceria com o Porta dos Fundos. Estamos trabalhando em tempo integral para isso e o perfil dos nossos funcionários deve estar de acordo.

 

ABMP: O DAZN pertence ao Perform Group, holding global que investe basicamente no setor de mídia, em marcas como a Warner Music Group, Deezer e Al Film. O que o grupo tem feito para adaptar o DAZN ao mercado de transmissões esportivas no Brasil e quais são as estratégias traçadas para o futuro da plataforma?

GG: O DAZN busca revolucionar a forma como consumimos esporte no mundo. Temos planos de crescimento ambiciosos – estamos no caminho para estar em 20 mercados até o final de 2020 – e estamos buscando agressivamente novos direitos e oportunidades, mas não podemos revelar mais nada neste momento.

 

 

Outras entrevistas

Entrevista: Sérgio Gordilho – Copresidente e CCO da Africa

" Acredito que nunca a criatividade foi tão necessária, tanto para as marcas, quanto para as pessoas. Ninguém pode ficar em cima do muro, pois cada um de nós será cobrado quando tudo isso acabar. Mas para não ficar nessa posição, temos que saber o que falar, quando...

ler mais

Entrevista: Rafael Valente – Vice-presidente do Grupo Civil

" Enxergo a publicidade e propaganda da Bahia como a mais criativa do Brasil e por muitos anos ela navegou com maré cheia, escondendo muitas pedras que agora aparecem."                                                                                                   ...

ler mais

Entrevista: Antoine Tawil – Vice-presidente da FCDL Bahia

" Nossa torcida e nosso esforço é de superar essa crise rapidamente, de forma segura, e que nosso estado e nosso país recuperem a capacidade de crescimento."                                                                                                               ...

ler mais

Entrevista: Ana Clara Moraes – Gerente de Marketing Brasil da NotCo

" Pensando no futuro, queremos que qualquer pessoa consiga ter uma refeição completa com produtos feitos de forma inteligente sem que tenha que abrir mão do sabor que ama. "                                                                                               ...

ler mais

Entrevista: Celso Athayde – CEO da Favela Holding

" Com o trabalho que desenvolvemos na Favela Holding, o morador de favela e o negro entendem que é possível terem seus respectivos empreendimentos, podendo prosperar financeiramente, sem ter um patrão."                                                                 ...

ler mais

junte-se ao mercado