Entrevista: Ivan Lopes – Presidente do Sindicato das Empresas de Publicidade Exterior do Estado da Bahia (Sepex-BA)

“O mobiliário urbano chegou muito forte, é uma tendência mundial. Os painéis começaram a usar a tecnologia dos leds, que invadiram todas as metrópoles. Salvador sempre foi referência em mídia exterior no Brasil, estamos sempre na vanguarda.”                                         


ABMP:
Como tem sido a evolução da mídia exterior na Bahia?

I.L: Nos últimos dez anos, a mídia exterior na Bahia passou por uma evolução muito grande, as empresas se profissionalizaram e investiram em novos engenhos, como painéis eletrônicos, que estão chegando com força total, e mesmo os engenhos mais tradicionais se renovaram. O mobiliário urbano chegou muito forte, é uma tendência mundial. Os painéis começaram a usar a tecnologia dos leds, que invadiram todas as metrópoles. Salvador sempre foi referência em mídia exterior no Brasil, estamos sempre na vanguarda. Hoje, Salvador (a Bahia como um todo) não deixa a desejar a nenhuma outra capital.

 

ABMP: E como é a atuação do Sepex-BA para acompanhar essa evolução?

I.L: Em Salvador, sempre procuramos a Prefeitura para a autorregulamentação. Foi feita toda a regulamentação do meio e sempre temos um diálogo muito aberto com a Prefeitura. Muitas prefeituras do interior solicitam que a gente encaminhe minutas de leis para adequarem à sua realidade. Damos suporte a elas e também às empresas dessas cidades.
Em termos de legislação de publicidade, Salvador sempre despontou. Tanto que nunca tivemos problemas com o “Cidade Limpa”, porque sempre andamos de acordo com as regras da Prefeitura, trabalhando para manter a cidade harmônica.

 

ABMP: Como você avalia a relação do público baiano com a mídia exterior?

I.L: A aceitação é muito boa. Geralmente, em uma campanha de publicidade usam TV, rádio. A mídia exterior funciona tão bem em Salvador que aqui temos campanhas feitas exclusivamente nestes espaços. Há algum tempo atrás, fizemos uma pesquisa que revelou quase 80% de aceitação da mídia exterior, com as pessoas acreditando que ela é importante para a cidade, que ela informa. O engenho é superimportante para a vida e o dia a dia do baiano. Hoje o Governo do Estado, por exemplo, exibe muito mais em outdoor que em televisão. Eles já viram que é uma forma muito rápida de atingir o público. Não precisa de aparelhos e aplicativo.

Outras entrevistas

Entrevista: Nizan Guanaes – Fundador do Grupo ABC

"O digital acaba com essa história de regional, local. Eu acho que o baiano é muito criativo. Nós temos isso a nosso favor, talvez fosse o caso de começar a fazer serviços nacionais, com remuneração nacional, localizados na Bahia, através do digital".                 ...

ler mais

Entrevista: Ricardo Alban – Presidente da FIEB

"Até o momento, não verificamos sinais concretos de recuperação da produção industrial baiana. É preciso acompanhar os dados dos próximos meses para atestar uma possível reversão do quadro negativo atual."                                                               ...

ler mais

Entrevista: Armando Avena – Economista, jornalista e escritor

"A recessão foi uma das piores do Brasil, mas já está passando. Na verdade, o primeiro trimestre de 2017 mostra que o país já começou a sair da recessão, mas de forma lenta. O problema do Brasil, neste momento, é muito mais de caráter político do que econômico."     ...

ler mais

Entrevista: Pedro Dourado – Presidente da Uranus 2

"Outro fator importante na nossa atividade de prestação de serviços é o fator humano. Não dá para trocar um funcionário por trocar, tem que tentar recuperá-lo pensando que isto é investimento e não custo. "                                                             ...

ler mais

junte-se ao mercado