Entrevista: Mariana Trindade – Diretora Estadual da Associação Brasileira das Agências de Comunicação (Abracom)

“O objetivo do nosso trabalho é garantir que a marca converse com seu público de forma transparente e ética e o múltiplo conhecimento gere um numero maior de possibilidades. O setor emprega no país mais de 15 mil pessoas.”                                                                                             

 

ABMP: A Bahia é um dos estados com mais empresas associadas à Abracom. Isto significa que as agências baianas estão conseguindo expandir para o mercado nacional ou ainda é preciso muito esforço para conquistar este espaço?

M.T: 
Sim, hoje temos 15 empresas associadas. Somos o quarto estado com maior número de agências filiadas, estando atrás apenas de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Essa conquista é fruto da necessidade das empresas baianas de estarem unidas em uma entidade que tem como missão representar os interesses de seus associados contribuindo para a ampliação e fortalecimento do mercado. A diretoria estadual da Abracom é uma conquista relativamente nova, mas, já trabalhamos com uma comissão há quase 10 anos e ainda é preciso muito esforço pra conquistar um espaço. Nem estou referindo à expansão nacional, mas no mercado interno. Ainda precisamos divulgar mais nossos portfolio de serviços e a campanha “Somos Comunicação Corporativa” veio pra nos ajudar nesse posicionamento.

 

ABMP: Quais são os principais desafios para manter o segmento ativo e crescente na Bahia?

M.T: Ter boas práticas de mercado é fundamental para manter a saúde das agências. Trabalhar para a conscientização dos empresários do setor em relação ao posicionamento ético, excelência técnica e adoção das melhores práticas de gestão, contribuindo para a ampliação e fortalecimento do mercado.

 

ABMP: A Abracom lançou, recentemente, a campanha Somos Comunicação Corporativa. Qual o intuito desta campanha? Quais foram as principais ações? Já é possível avaliar retorno positivo?

M.T: 
A campanha “Somos Comunicação Corporativa” foi criada com objetivo de implementar uma consciência de classe na comunicação corporativa, tanto entre os empresários como entre os funcionários, incentivar o orgulho de ser comunicador e mostrar que o segmento é multidisciplinar e valoriza a função, não a formação dos profissionais.

O objetivo do nosso trabalho é garantir que a marca converse com seu público de forma transparente e ética e o múltiplo conhecimento gere um numero maior de possibilidades. O setor emprega no país mais de 15 mil pessoas. Em pesquisa realizada pela Abracom, em maio de 2016, há publicitários, designers, relações públicas, administradores, jornalistas, economistas, advogados. Estamos divulgando internamente com as associadas e seus colaboradores e para o mercado de comunicação. Na Bahia vamos fazer, no inicio de 2017, um evento para apresentar a campanha.

 

ABMP: O que está na pauta da Abracom para 2017 visando o fortalecimento do setor?

M.T: 
Temos uma comissão de trabalho composta por representantes de mais quatro agências. Fazemos encontros e rodadas de discussão e o que percebemos é uma grande demanda por programas de capacitação.  Estamos organizando um calendário para os diretores de agências, com curso voltados para a área de gestão, formação de preços, jurídico. E treinamentos específicos para o corpo de colaboradores. Também estamos dando continuidade aos diálogos iniciados com outras entidades e com representantes.

Outras entrevistas

Entrevista: Pedro Dourado – Presidente da Uranus 2

"Outro fator importante na nossa atividade de prestação de serviços é o fator humano. Não dá para trocar um funcionário por trocar, tem que tentar recuperá-lo pensando que isto é investimento e não custo. "                                                             ...

ler mais

Entrevista: Sérgio Valente – Diretor de Comunicação da Globo

"As marcas não precisam morrer nunca, elas só precisam renascer todos os dias."                                                                                                                                                                                             ...

ler mais

junte-se ao mercado