>

Entrevista: Pedro Dourado – Presidente da Uranus 2

“Outro fator importante na nossa atividade de prestação de serviços é o fator humano. Não dá para trocar um funcionário por trocar, tem que tentar recuperá-lo pensando que isto é investimento e não custo. “                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                       

 

ABMP: Diante da crise, muitas empresas tem se visto com a necessidade de fazer ajustes, cortes no orçamento, venda de cotas do negócio, para conseguir se manter no mercado. No entanto, às vezes, estes ajustes são necessários independentemente do cenário econômico do país, havendo despesas que são dispensáveis. Como tem sido na Uranus2? Foi o momento certo para analisar o orçamento dentro de casa?

P.D:  Como pretendemos que as coisas mudem se sempre fazemos o mesmo? A crise é o momento ideal de reavaliarmos nossos negócios, sempre temos que olhar para dentro e aqui na Uranus não é diferente. Aí você vê que muita coisa precisa e pode ser mudada. Vejo empresários tentando manter sua receita e até aumentá-la, só que acabam deixando de olhar os custos e esse é o único item que, de fato, podemos conseguir alterar e obter êxito. Olhar para os custos é como fazer aquela dieta que precisamos, mas relutamos em iniciar. Temos que começar para ver os resultados.

Outro fator importante na nossa atividade de prestação de serviços é o fator humano. Não dá para trocar um funcionário por trocar, tem que tentar recuperá-lo pensando que isto é investimento e não custo. Cortar custos é retirar o que é desnecessário, despesas reais.

 

ABMP: Quais foram as principais medidas tomadas?

P.D: Tomamos várias, desde a redução de espaços físicos para diminuir o custo de luz à exclusão de áreas que não davam resultado. Sugiro aqui um exercício que faço toda vez que analiso a redução de custos. Imagine que consegue reduzir 20% em seus custos fixos que somam R$ 50.000,00 ao mês e logo terá R$ 10.000,00. Agora projete este valor para 10 anos, ou seja, estamos falando em R$ 1.200.000,00. Uma grande economia!

 

ABMP: É possível reduzir custos sem comprometer a qualidade do serviço oferecido?

P.D: Sim, se você fizer de maneira inteligente, pensando sempre em como otimizar o trabalho, torná-lo mais simples, prático e menos oneroso.

 

ABMP: O cenário de crise muda também a forma de fazer negócio?

P.D: 
Sim, temos que estar mais atentos e criar novas oportunidades, apesar do cenário de crise e incerteza. Avançar sempre, com cautela e planejamento.

 

Outras entrevistas

Entrevista: Bob Wollheim – CEO & Partner da The B Network

"É pensar menos em veículo e mais em plataforma. É ter um jeito mais beta, mais lean e mais fast. Não é pouca coisa, de fato. Para nativos digitais ou para aqueles que conseguirem aprender, se reinventar, não haverá problema e as oportunidades são enormes."           ...

ler mais

Entrevista: Candice Pascoal – Fundadora da Kickante

"Sempre falo que o empreendedorismo irá salvar o Brasil e acredito muito nisso. Hoje, o empreendedor não é mais apenas o homem ou mulher de negócios."                                                                                                                     ...

ler mais

Entrevista: Rodolfo Tourinho – Primeiro presidente da ABMP

"No fundo, a ABMP significou a reunião das diversas associações do segmento em uma coisa maior e que pensasse o segmento como um todo. Essa fusão foi muito positiva e possibilitou a transformação das relações e trouxe muito mais transparência."                       ...

ler mais

Entrevista: Vico Barbosa – Head of Production na Jack the Maker

"Por muito tempo, os projetos de inovação dos criativos das agências ficavam no papel e acabavam na gaveta. O mundo agora pede e provoca para que eles coloquem em prática essas ideias inovadoras"                                                                         ...

ler mais

junte-se ao mercado