Inovar também é para você.

out/2019

Quando, há quase 10 anos, vi uma Impressora 3D em funcionamento, tive clareza de que o futuro profissional passaria pela inovação. Acreditei que aquela nova máquina tinha, de uma só vez, conseguido derrubar múltiplas barreiras de proteção à indústria: tecnológicas e de suprimentos. Se a partir daquele momento pessoas comuns poderiam fabricar em casa e livremente próteses de braços ou peças de carro, as organizações, por outro lado, precisariam investir em boas ideias para continuarem competitivas. A criatividade seria assim, uma das mais relevantes competências a serem desenvolvidas pelas próximas gerações. Não apenas para profissionais envolvidos diretamente com a área criativa, mas para todos os demais.

Mesmo reconhecendo que o meu raciocínio talvez tenha se tornado simplista diante da complexidade do cenário atual, ainda acredito naquele insight. Agora, não mais somente pela observação de novos hardwares potentes, mas também pela oferta de soluções que envolvem processos, sistemas, compartilhamento de ideias e de equipamentos… mais do que nunca acredito que a criatividade é, e continuará sendo, uma das mais nobres habilidades dos profissionais da próxima geração. Bacana é saber que, contrariamente ao que boa parte das pessoas imagina, esta não é uma qualidade unicamente inata. Ela pode ser desenvolvida e é um dos componentes mais relevantes no processo de inovação. E como que podemos desenvolvê-la, afinal? Como as pessoas que não atuam diretamente com criação podem se habituar a pensar de forma a permitir a emergência de soluções inovadoras em seus mercados? 

A internet está cheia de sites que propõem exercícios para estimular o raciocínio criativo e os processos de inovação. Para mim, é alentador saber que nem todos os produtos gerados a partir de um processo como este precisa ser disruptivo. As inovações incrementais, aquelas que não se configuram uma completa novidade, são importantes para a movimentação dos mercados e também para alcance da disrupção.

 Ao profissional que deseja estimular esta competência, recomendo que conheça profundamente a área em que atua. Não apenas os produtos, mas especialmente seus usuários e respectivos comportamentos. O conhecimento e o senso de adaptabilidade é uma das variáveis mais significativas. A troca de informações, especialmente com pessoas de trajetórias diversas a sua, pode levar a sua ideia a outro patamar. Não tenha medo de expor o seu pensamento e nem muito menos de arriscar. Inovar pressupõe se expor a riscos. Ative a sua escuta para reconhecer e aceitar opiniões diferentes daquelas que tinha imaginado inicialmente. Participar de eventos ricos em debates e trocas de experiências certamente enriquecerá o seu raciocínio. Por último, tenha calma! Estudos comprovam que as melhores ideias vão sendo gradativamente aprimorada com o passar do tempo.

Além de ser um componente muito valorizado pelas empresas, trabalhar com inovação é algo muito estimulante e gratificante. Para fazer é só começar a treinar. Vamos?

Alessandra Calheira

Alessandra Calheira

Colunista

Mestre em Comunicação e Cultura Contemporâneas, na linha de Cibercultura, pela UFBA; Especialista em Marketing pela ESPM e Publicitária pela UCSal. É sócia fundadora da Proxima e consultora para Gestão Educacional e Empregabilidade da Rede FTC. É ainda professora da Pós-Graduação da UNIFACS e colunista do Bahia Notícias.

Atuou como criativa e redatora publicitária quando foi laureada com um Leão no Festival Internacional de Cannes, com uma medalha no Clube de Criação de São Paulo, Top de Marketing da ADVB, entre outros.

Mais artigos

Na moral, ainda vale a pena apostar na Ética?

Três são as acepções que costumo escutar sobre a palavra Ética entre alunos dos cursos nos quais leciono, há quase três décadas. Introduzo a disciplina com a técnica do brainstorm ou livre associação e irremediavelmente aparecem definições que confundem...

ler mais

Reputação, um valor que pode te levar mais longe

O Uber e o Airbnb são tecnologias disruptivas e, como tal, foram responsáveis por remodelar o mercado e redefinir padrões de consumo e comportamento. Uma das questões que torna relativamente segura a contratação de serviço entre desconhecidos é a possibilidade de...

ler mais

Capitu, o Brasil e suas verdades

Há mais de um século nos debatemos com a inquietante dúvida acerca da suposta traição de Capitu a Bento Santiago, em Dom Casmurro. Dúvida, que até pouco tempo, impossibilitava a nós, expectadores dos fatos históricos, uma visão lúcida do cenário - ora por temermos...

ler mais

Diversidade: abra suas asas sobre nós

É falar de diversidade e me vem à mente a Bahia, minha terra, com seus ecossistemas e ecologias ocupados por tão diferentes antropologias. Com um território maior do que o da França e a maior faixa de litoral atlântico do Brasil, o estado possui miríades de  rostos,...

ler mais

Investimentos na saúde em tempos de crise

“Investimentos no setor de saúde não são apenas investimentos no setor de saúde. São investimentos para o crescimento econômico e para um futuro mais justo e próspero para todos”. Esta frase foi dita pelo diretor geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros...

ler mais

A TV Impossível

Palestra no Scream 2019 (06 de dezembro) Reflitam por 30 segundos como virou clichê chamar os serviços de Uber ou de Netflix de disruptivos. Agora, pensem em como eles parecem óbvios olhados com a perspectiva de hoje. É natural, depois que tudo foi realizado, a gente...

ler mais

junte-se ao mercado