>

mar/2018

Encontro online aconteceu durante programa da ABMP, no Facebook, para profissionais de comunicação

Cada vez mais profissionais, as fake News são uma epidemia. Elas vão além da internet, mas é neste meio que elas mais circulam e propagam. Para esclarecer o assunto, ainda novo para muita gente, a Associação Baiana do Mercado Publicitário – ABMP reuniu especialistas da comunicação em uma live, transmitida pelo Facebook, na última terça-feira (27), com apresentação de Léo Sa14c296df-4ce4-4da3-ba22-7c84fd617676mpaio.

Hoje em dia, com um celular na mão, todo mundo tem potencial para produzir conteúdo. Yuri Almeida, jornalista, fundador do Labcaos, mestre e estudioso do jornalismo digital, fake new é uma fofoca moderna, não necessariamente uma notícia falsa (traduzindo ao “pé da letra”), mas uma informação criada com intenção de prejudicar algo ou alguém.

Na live, ele concordou com Rafael Almeida, consultor de marketing, comunicação e planejamento estratégico, quando este deu a dica para uma marca ou figura pública evitar ou sair ileso dos impactos de uma fake new. Para o consultor, é difícil controlar, mas é possível, mantendo, em todas as mídias, em todas as suas expressões, uma honestidade total. “Assim, se alguém tentar derrubar com uma fake New, ela tem um discurso do passado, ou seja, um histórico de verdade que vai minimizar os efeitos que uma marca concorrente ou alguém com má intenção consiga fazer sobre ela”, explica.

Ele ressalta ainda a importância de um plano de mídia bem elaborado, já que, se uma marca utiliza ambientes publicitários que não são contaminados por fake News, ela não vai ser vista, de uma maneira espontânea, como alguém que também esteja contaminado. Também falando sobre as marcas, o publicitário e comentarista do programa, Pedro Valente, fez referência ao ato de coragem das marcas que tem ocupado espaços de mídia para fazer auto crítica, desenvolvendo formas de dialogar com o cliente para adequar seus serviços e produtos.

Dicas – Para evitar cair nas armadilhas das fake News e sair compartilhando informações equivocadas, o jornalista Yuri Almeida deu diversas dicas. Confira algumas delas: verificar o domínio do site (se termina com .net, por exemplo); ponderar se o compartilhamento pode causar danos a alguém; ser menos preguiçoso e fazer uma busca rápida na internet; desconfiar de textos com títulos em fontes maiúsculas; analisar fotos em sistema de busca (Google imagens); e desconfie dos que pedem recompensas.

Teve ainda participação do diretor teatral Fernando Guerreiro, por vídeo gravado, para alertar as pessoas sobre o perigo do compartilhamento irresponsável. A dica do diretor e apresentador de programa de rádio veio em hashtag: #segureodedo. Para ouvir este recado e a live na íntegra, basta acessar a página da ABMP no Facebook (www.facebook.com/abmpbahia). A próxima edição está marcada para 10 de abril, sempre às 16h.