O que esperarmos de 2022?

dez/2021

Acredito que uma das maiores lições que a pandemia me trouxe é que “a felicidade está onde meu coração se sente bem”. Sempre fui uma pessoa do mundo, e uma das minhas maiores paixões é viajar, assim como uma das maiores riquezas que podemos nos proporcionar. Isso eu aprendi e trago dos meus pais mesmo, felizmente. Por mais que valorize o meu lar e precise ter meu canto, cultivo amizade e carinho ao redor do mundo.

Mas o tema deste mês não são as lições da pandemia e, sim, o que devemos esperar de 2022. Aliás, o que queremos esperar de 2022? O mundo emerge esperança na mesma proporção que incerteza, o mundo emerge novas fronteiras e horizontes ao mesmo tempo que medo de termos novas ondas. Então, me questiono e questiono a vocês, o que vamos esperar de 2022?

E aqui eu gostaria de trazer uma auto reflexão (coisa que tenho tentado desenvolver há mais de 1 ano), vamos esperar que esse novo ano venha repleto de pensamentos positivos, empatia e esperança. Eu peço a todos, vamos fazer a nossa parte! Já estamos cansados de saber que “notícia ruim chega rápido” e “que aplausos para os nosso fracassos são sempre mais altos”. Mas então, o que nos resta? Absorver isso e deixar com que a incerteza e o medo nos afrontem?

Jamais, vamos encher nossos corações e mente de amor, paz e pensamentos positivos. Vamos fazer a nossa parte por um mundo melhor! Vamos fingir demência mesmo para àquilo que nos faz mal e não está no nosso controle! Vamos retribuir todo bem que temos recebido! Afinal, essa não foi a maior lição que a maioria diz ter desta pandemia?

Chegou o momento de arregaçarmos as mangas, e colocarmos em prática tudo aquilo que pregamos! Mas Fred, você não tem medo? Você vive em que mundo que não enxerga todo risco que estamos vivendo? Tenho sim, mas gosto de dizer que uma das minhas maiores qualidades é a CORAGEM. Coragem essa herdada pela minha heroína, amada vó!

Coragem de saber que eu posso fazer a minha parte, que eu posso seguir em frente mesmo com medo. Afinal, se tiver medo, vai com medo mesmo assim! E quando se sentir fraco, se reconecte aos lugares, pessoas e momentos que te renovam a fé. Sim, aquela linda fé que estou construindo e já relatei em outra coluna.

E, desta forma, declaro meu amor pela Bahia, sua terra, encantos e pessoas. Aqui eu me reconecto, aqui passarei mais uma das inúmeras viradas de ano na minha vida (e tenho certeza que não a última). Afinal, existem lugares no mundo que amamos visitar, conhecer, aproveitar…. mas tem sempre um lugar que nos conectam, trazem a paz e a leveza. E esse lugar é ÚNICO!

Então, para 2022, ache o seu lugar ÚNICO da sua vida, tenho certeza que ele te ajudará a seguir sempre em frente, independente do que venha a ocorrer!!!!!!!!!  

_______________
O conteúdo e opinião publicados neste artigo são de inteira responsabilidade do autor ou autora.

Fred Mette

Fred Mette

Colunista

Doutora em administração, amante e atuante nas áreas de finanças, marketing, empreendedorismo e inovação. Possui com experiência em consultoria, avaliação de negócios e planejamento estratégico e financeiro. Sócia e idealizadora da U-Plan Startup. Seus interesses de pesquisa incluem, principalmente, psicologia econômica, endividamento e bem-estar financeiro. Atualmente é professora na PUCRS, onde atua como agente de inovação e coordenação de programas de MBAs

Mais artigos

Vinte e nove horas de silêncio: em vez de medo, orgulho…

A leitura dos “silêncios” e o que eles revelam: por que precisamos quebrar o silêncio?   “O óbvio precisa ser dito”. Este é o tom de mais um mês em que, ainda, precisamos reafirmar a dignidade das pessoas dissidentes da cis heteronormatividade estruturalmente...

ler mais

A simplicidade e a sabedoria do óbvio

“Não acredito que estejamos em crise. Não precisamos do externo para nos fortalecer, tudo está dentro de nós. Todos somos encantados. Estamos deixando o encantamento de lado, a degradação vem daí”. O pensamento acima, ou provocação, é de Pai Francisco de Oxum, mestre...

ler mais

Para quê Diversidade?

O que as respostas revelam.   Uma das máximas do mundo da Publicidade, Propaganda e Marketing irá nortear este texto: "quais dores o seu negócio tira do mundo?". Isto porque, obviamente, podem existir – e existem – inúmeras possibilidades de respostas adequadas...

ler mais

A hora e a vez da favela

O fato de ser um filho da periferia de São Paulo despertou em mim desde cedo alguns questionamentos sobre o bairro em que morava, principalmente sobre a falta de acesso a itens essenciais para o desenvolvimento humano como saúde, boas condições de moradia, transporte...

ler mais

Máscaras de uma vida fragmentada

Antes de toda essa loucura de pandemia começar, quando eu ouvia alguém falar a palavra máscara a primeira coisa que vinha à minha mente era aquela música do Chico Buarque de Hollanda, “Noite dos Mascarados”, que diz mais ou menos assim: “Quem é você? Adivinha, se...

ler mais

Por que Diversidade?

A importância de fazer as perguntas certas   Diversidade se tornou um tema delicado, capaz de travar diálogos e cessar conversas. Muitos medos permeiam a temática, dentre eles – talvez o maior – o receio de uma fala equivocada gerar consequências, quase...

ler mais

junte-se ao mercado