>

abr/2018

Organização incentiva projetos na periferia e fornece treinamentos e capacitação para empreendedores

O que gambiarras e mototáxis têm em comum? São soluções desenvolvidas para resolver problemas do dia a dia das pessoas. Com ideias tão ou até mais criativas que essas, baianos têm feito história mundo afora com projetos inovadores e tecnológicos. Apesar de ser reconhecida como uma cidade cultural e turística, Salvador ainda não é vista como um polo atrativo de investimentos na área da inovação, tecnologia e Economia Criativa. Pensando nisso, a Vale do Dendê – organização que incentiva o empreendedorismo na periferia e no Centro Histórico de Salvador – criou um programa para impulsionar os negócios locais nas áreas de moda, gastronomia, artes e tecnologia.

A aceleradora, que funciona como um guarda-chuva de conhecimento e integração para ajudar os novos negócios, selecionou 30 projetos para a primeira etapa de pré-aceleração. Neste mês, os empreendedores estão participando de treinamentos no Espaço Cultural da Barroquinha para defender seus projetos a uma banca composta por integrantes da academia, executivos e empresários. “Somos um canal que dá ferramentas para que empreendedores potentes, promissores e de alto nível cresçam. Nesse primeiro ano do programa, recebemos 107 inscrições de projetos”, explica Ítala Herta, diretora de operações da Vale do Dendê.

Foram avaliadas a viabilidade técnica e o potencial de escala das soluções criativas, além da inovação e criatividade. “Tecnologia social e na metodologia dos processos ou do produto também são critérios importantíssimos avaliados nos projetos. As pessoas acham que a periferia não produz tecnologia, mas soluções criativas surgem a partir de situações de vulnerabilidade. A partir delas, criamos soluções práticas para situações cotidianas”, destaca Ítala.

Na seleção, a Vale do Dendê priorizou ainda negócios com mulheres, jovens, afrodescendentes e moradores de periferia, que não estão no radar dos grandes investidores. Os dez projetos selecionados vão defender a viabilidade financeira e os benefícios para a sociedade das suas ideias nos dias 10 e 11 de maio. Ganharão também espaço de trabalho gratuito por seis meses e receberão apoio para encontrar investidores. Os próximos workshops do programa acontecem no Espaço Cultural da Barroquinha nesta sexta, sábado e domingo. Com participação da psicóloga e empreendedora Maitê Lourenço, idealizadora da BlackRocks Startups, a palestra de sexta, às 19h, é aberta ao público e tem entrada franca.

Fonte: Correio24horas