Contagem regressiva – Já?!

set/2021

Há pouco mais de um mês acompanhávamos as Olimpíadas e depois as Paraolimpíadas. Praticamente todas as competições das modalidades esportivas tinham início após uma contagem regressiva. Esportes como salto ornamental ou tiro esportivo não precediam uma contagem em voz alta, mas certamente aconteciam na mente dos atletas antes de entrarem em ação.

Minha área profissional é Humanas, porém, eu não ganhei o apelido de “mago dos dados” à toa! Como pesquisador, faço inúmeras contas. E nesse ritmo ‘me dei conta’ que estamos a cerca de 100 dias para encerrar este ano.

100 é expressivo!

De acordo com a numerologia, o número 100 revela um alto potencial, autossuficiência, independência e integridade. É um número para quem busca a liderança, fazer as coisas sozinho e realizar os próprios desejos. Ao ver esse número a pessoa precisa explorar novas ideias, ser mais determinada e mais positiva quanto a seu sentimento. Com vibrações do número 1 e do 0, significa também assertividade e busca da plenitude.

1 é o número de maior força no número 100 porque reduzindo a um número de um dígito (1 + 0 + 0 = 1), fica 1. Ele transmite muito as qualidades dele para o número 100, como a motivação, ambição, liderança, independência, autoconfiança, energia e criatividade. O número 1 na numerologia carrega muito a energia para começar novas coisas, ele simboliza o início de tudo, com a influência da liderança, determinação e busca de progressos.

Tudo isso faz sentido para você?

Pra mim, sim. Entendo que os sentimentos citados acima são fundamentais para vivermos o hoje e nos prepararmos para o futuro. É momento refletir sobre os meses que ficaram para trás e já planejar 2022. As transformações no cenário profissional (especialmente na área de Comunicação) e o aprofundamento no autoconhecimento têm sido gatilhos para motivar minhas ambições e energizam minha autoconfiança e criatividade.

Sigo estudando – inclusive, me estudando – dando passos em direção ao que faz sentido pra mim. Meu mantra “vemcoisaboaporaí” se fortalece cada vez mais porque eu acredito que tem “coisaboaporaqui”.

Diego Oliveira

Diego Oliveira

Colunista

Fundador e CEO do Grupo Youpper Consumer & Media Insight. Expert in Consumer & Media Insights. Publicitário e mestre em Comunicação pela Cásper Líbero, especialista em gestão de projetos pela FGV, professor e supervisor universitário na ESPM nos cursos de Publicidade e Propaganda.
Mais artigos

A escol(h)a da vida

Rubem Alves, expressivo escritor do nosso tempo, certa vez escreveu que “há escolas que são gaiolas e há escolas que são asas”. É interessante como tal perspectiva nos releva que, na nossa vida, o mesmo ‘espaço’ pode conduzir por caminhos e olhares tão diferentes....

ler mais

O que importa é a produção!

Na contemporaneidade da escassez de horas, de profissionais ultra-tarefas, de benefícios encurtados e um surto coletivo de doenças ocupacionais-psicológicas, vivemos um paradigma nesse mundo “tech”, onde a inovação e as ondas “alpha, beta, meta” ditam os novos...

ler mais

Vinte e nove horas de silêncio: em vez de medo, orgulho…

A leitura dos “silêncios” e o que eles revelam: por que precisamos quebrar o silêncio?   “O óbvio precisa ser dito”. Este é o tom de mais um mês em que, ainda, precisamos reafirmar a dignidade das pessoas dissidentes da cis heteronormatividade estruturalmente...

ler mais

A simplicidade e a sabedoria do óbvio

“Não acredito que estejamos em crise. Não precisamos do externo para nos fortalecer, tudo está dentro de nós. Todos somos encantados. Estamos deixando o encantamento de lado, a degradação vem daí”. O pensamento acima, ou provocação, é de Pai Francisco de Oxum, mestre...

ler mais

Para quê Diversidade?

O que as respostas revelam.   Uma das máximas do mundo da Publicidade, Propaganda e Marketing irá nortear este texto: "quais dores o seu negócio tira do mundo?". Isto porque, obviamente, podem existir – e existem – inúmeras possibilidades de respostas adequadas...

ler mais

A hora e a vez da favela

O fato de ser um filho da periferia de São Paulo despertou em mim desde cedo alguns questionamentos sobre o bairro em que morava, principalmente sobre a falta de acesso a itens essenciais para o desenvolvimento humano como saúde, boas condições de moradia, transporte...

ler mais

junte-se ao mercado