A conexão através da comunicação

jul/2018

Contribuir para uma gestão mais eficiente, estabelecer canais de diálogo, promover interação, compartilhar informações com os diversos públicos. No dia a dia das organizações, a comunicação constitui um patrimônio valioso para alcançar objetivos sólidos e permanentes.

Mais do que nunca, comunicar bem não só é preciso, como é imprescindível. E para isso, a comunicação precisa assumir papel de destaque nos planejamentos organizacionais. Aquela velha crença da comunicação como área de apoio, que é a primeira a ser cortada em momentos de crise, não sobrevive mais. Muito pelo contrário. A comunicação deve ser prioridade no planejamento dos gestores em qualquer tipo de organização, seja ela com ou sem fins lucrativos.

Estudar, planejar, agir e, sobretudo, saber como e quando comunicar-se. Ser estratégico significa otimizar os processos, fluxos e dinâmicas de comunicação, analisar os diferentes cenários, estabelecer objetivos, metas e indicadores de resultados, conhecer seus públicos e avaliar os diversos canais, linguagens e as melhores formas de entregar uma mensagem. 

É preciso entender que nenhuma empresa vive de forma isolada, ou é autossuficiente. Todas as instituições estão inseridas em um contexto maior, de relacionamento com outras organizações, com clientes, colaboradores, entidades públicas, imprensa, parceiros e com a sociedade como um todo. A comunicação é inerente à operação de um negócio.

Esta perspectiva faz parte trabalho de gestão implantado nos últimos anos na Santa Casa da Bahia. Afinal, não existe administração sem comunicação. Temos investido em diferentes ações, desde a consolidação de uma marca padronizada e alinhada com os novos tempos – unindo tradição e inovação como fundamentos da nossa identidade, até a capacitação constante de profissionais, e também à adoção de novas ferramentas de comunicação com nossos stakeholders, inclusive com presença online. 

Comunicar é relacionar-se. Estabelecer relacionamentos pressupõe, antes de mais nada, uma partilha. Aliás, este sentido é intrínseco ao da própria palavra comunicação, que deriva do latim “communicare”, que significa partilhar, participar, tornar comum.

É exatamente dessa forma que acreditamos ser necessário pensar a comunicação no contexto das organizações: conexão, formação de vínculos, criação de pontes cada vez mais sólidas com os seus respectivos públicos. Como prestadora de serviços nas áreas de saúde, educação, cultura e assistência social, a Santa Casa da Bahia tem buscado estabelecer estas conexões diariamente. Acreditamos que é este o caminho.

Roberto Sá Menezes

Roberto Sá Menezes

Colunista

Provedor da Santa Casa da Bahia, fundador e presidente do Grupo de Apoio à Criança com Câncer da Bahia (GACC-BA), membro do Conselho Fiscal da Associação Obras Sociais Irmã Dulce (AOSID) e do Conselho Consultivo da Confederação das Santas Casas de Misericórdia do Brasil (CMB).

 

Mais artigos

O que a vida quer da gente é coragem

Ultimamente, venho utilizando este espaço não apenas para discutir temas relacionados à carreira e ao mercado, mas também para entrelaçar esses olhares a outras percepções sobre a vida. Afinal, é dessa forma que vejo as coisas e acredito que isso pode ressoar em...

ler mais

Puskas e a liderança em tempos de lifelong learning

Durante minha participação na Conferência Global da AMBA (Association of MBAs) em Budapeste, na Hungria, lembrei de Ferenc Puskás, ícone do futebol dos anos 1950. Para os mais jovens, isso pode parecer estranho, mas explico a relação. Não vi Puskás jogar, mas nasci...

ler mais

Está na moda ser publicitário de novo. E você sabe porquê?

Você sabe como os influenciadores ganham dinheiro? E quem paga a assinatura da Netflix pela metade do preço? E aquele post sensacional do prédio novo? E o vídeo do mais novo lançamento da Apple? E a ação de marketing do novo carro da Tesla? Pois é meus amigos e minhas...

ler mais

IA na Publicidade: Estímulo ou Ameaça à Criatividade? 

O mundo da publicidade vive uma revolução com o avanço da Inteligência Artificial (IA), especialmente no campo da IA generativa (GenAI), que traz uma disrupção para a forma como o trabalho criativo e analítico é feito. Isso gera desejo e medo nos profissionais da...

ler mais

Seja bem-vinda Madonna, e volte mais vezes.

Sou educado, mas não me julgue, pois não assisti ao show ou me empolguei com a artista no Brasil. Motivo – não gosto muito desse tipo de evento miraculoso, que envolve mais encenação do que recursos e talentos em si. Todavia, isso não invalida a minha noção de que a...

ler mais

junte-se ao mercado