E você, qual é a sua Fé?

jul/2021

A maioria de vocês deve estar achando estranho essa pergunta, afinal a fé muitas vezes é sinônimo de religião e devoção a esta. Mas a descoberta da fé, ou mais especificamente da minha fé, foi e está sendo o maior desafio da minha vida. Compreender e desvendar a fé, vinda de uma família metade católica e metade ateia, parecia algo sem sentido para mim. Afinal, nunca consegui me identificar com nenhuma religião ou atitudes que estavam presentes no meu dia-a-dia.

Eis que, no início da pandemia, resolvi fazer uma consulta de numerologia, algo que sempre quis fazer (aliás, adoro descobrir novas técnicas que me ajudam no caminho do autoconhecimento). Uma das maiores lições que tive, deste primeiro atendimento, foi que a minha natureza metódica me desafiaria a desenvolver a minha fé. Naquele momento eu ainda me assustei e disse: mas eu já tentei todas as religiões, e não me identifiquei 100% com nenhuma. Para minha surpresa, eu escutei: Frederike, a nossa fé é construída, pouco a pouco, por tudo aquilo que nos faz bem e acreditamos.

Era uma fase complicada a todos, em função do momento mundial, e para mim não foi diferente. Me sentia diversas vezes “perdida” buscando razões para compreender tudo que se passava em minha vida. Desde então comecei a retomar tudo o que já tinha me feito bem e buscar tudo o que poderia agregar a minha vida. Muitos mentores (ou seriam anjos que Deus me colocou na vida) me guiaram, ouviram e me pegaram “pela mão”.

A Frederike de hoje é totalmente diferente de 12 meses atrás. Mais evoluída e consciente do seu papel. Ainda tenho muito a descobrir e a estudar, mas me sinto em paz e sabendo que estou traçando o que deveria. Estou construindo a minha fé a partir de diferentes crenças e religiões, e sabe que para mim muita coisa se complementa? E se complementa porque para mim faz sentido, me faz ser mais forte e me faz ser mais eu.

Concordo neste sentido, novamente, com o que Martha Medeiros diz “A fé é de uns e de outros… na minha santa inocência, ainda acredito que religião deveria servir apenas para promover o amor e a paz de espírito.” E é isso, em um momento onde há tantas desavenças, brigas ou atritos, a lição de “amar ao próximo como a si mesmo” fez tanto sentido.

A Fé é aquilo que faz você acreditar que há esperança… esperança de uma sociedade melhor, de uma vida mais feliz, de realização de sonhos. A Fé é aquilo que nos ajuda a levantar todos os dias, enfrentar todos leões e seguir de cabeça erguida, sabendo que você deu o seu melhor. A Fé é aquilo que faz você sorrir, rezar, se emocionar e acreditar. A Fé é o que nos move e, hoje, eu não acredito mais em uma vida sem Fé. E você, qual é a sua Fé?

E, se você ainda não tem uma resposta, um conselho: não perca tempo, e construa a sua…. a vida fará muito mais sentido!

Fred Mette

Fred Mette

Colunista

Doutora em administração, amante e atuante nas áreas de finanças, marketing, empreendedorismo e inovação. Possui com experiência em consultoria, avaliação de negócios e planejamento estratégico e financeiro. Sócia e idealizadora da U-Plan Startup. Seus interesses de pesquisa incluem, principalmente, psicologia econômica, endividamento e bem-estar financeiro. Atualmente é professora na PUCRS, onde atua como agente de inovação e coordenação de programas de MBAs

Mais artigos

Valeu pelo seu post colorido de junho! A galera lgbtqia+ agradece! Mas nos outros meses o que você tem feito de verdade para combater o preconceito? Que tal começar pelos “simples” discursos que só potencializam homofobia, transfobia & bifobia?

“Você é gay?” “Como você virou lésbica?” Vem cá, alguém fica perguntando por aí se você é hétero? Como você virou hétero ou com quantos anos você decidiu ser hétero? Como foi falar para seus pais? Então se toca e pare de ser desnecessári@. “Mas bissexual, pansexual,...

ler mais

Nem tudo é o que parece ser

“Ao nascer, foi entregue para adoção por sua mãe solteira. Na escola, destacou-se tanto pela inteligência como pela indisciplina e molecagem. Aos 15 anos, teve um primeiro emprego na HP, comprou um carro velho e passou a fumar maconha. Aos 19, descalço, vegetariano...

ler mais

uma curtição chamada São João

Pelo segundo ano consecutivo, não será possível sentir os aromas das festas juninas nas ruas ou em espaços onde costumávamos “pular a fogueira” ou “dançar a quadrilha”. Assim como o trabalho e os estudos, as celebrações tradicionais tiveram que se transformar,...

ler mais

Viagem a um passado presente

Meio do ano chegando e a gente começa a avaliar o que fizemos da vida (ou o que ela fez de nós) na primeira metade de 2021. São tantas coisas a dizer – e a escrever – e, por isso, vou me ater ao último mês: maio. As efemêrides são elementos quase obrigatórios do mundo...

ler mais

Conecchão: eu era, eu sou ou eu serei?

Todo e qualquer lugar do mundo é um berço de conhecimento pra mim. Os Brasis dentro do Brasil são como salas de aulas... e a Bahia, sem dúvida, é uma das minhas aulas prediletas. Aqui nasceram seres humanos extraordinários, como o terapeuta indígena Ubiraci Pataxó. E,...

ler mais

junte-se ao mercado