Feliz Natal!!!!!

nov/2017

Essa é a voz que ouvimos do comércio, em especial dos shoppings centers onde já vemos, desde meados de outubro os primeiros enfeites natalinos, pelos corredores e nas áreas de alimentação, preparando o humor dos baianos para a retirada dos panos, da praça central, que nos revelam o grande cenário onde o Papai Noel estará fazendo a alegria das crianças e lá dentro um produtor do marketing ralará o DVD com as cantigas de época de tanta repetição. E no fim de semana, ainda bem, teremos um coral ao vivo.

 

Eu deveria estar feliz por Papai Noel chegar mais cedo este ano do que de costume, logo eu que sempre acreditei no bom velhinho e nunca permiti lá em casa que meus filhos, ou, netos duvidassem sobre a sua existência; até hoje ninguém na minha frente se atreve a dizer que Papai Noel não existe. E eu estava falando bom velhinho por força de hábito, pois já começo a desacreditar da bondade desse velhinho, como não duvidar se o comércio há mais de três anos é lamentação pura. E tristeza, assim aprendi, não combina com bondade.

 

Se o comércio não vende conforme as expectativas e não contrata funcionários extras como no passado e as agências de propaganda e os veículos de comunicação que divulgam as mensagens publicitárias sonham com atingir, na melhor das hipóteses, os índices de faturamento de 2013, quando estamos em 2017 , afinal, de quem é a culpa? Obvio que de Papai Noel que não está nos presenteando como deveria e uma amiga minha que via renas nesta época do ano sobrevoando os céus de Salvador, jura que não as viu nunca mais. Tão chateado fiquei com o desabafo que prometi a mim mesmo inventar uma rena, se preciso for, para agradá-la.

 

Como ia dizendo eu deveria estar feliz com a chegada de Papai Noel nesta primavera invernal, mas, não estou e se não fossem minhas convicções e minha admiração incondicional pelo personagem já o tinha xingado na minha coluna do Correio* e quem sabe renegado a sua existência. E sabem por que não estou feliz ? Por que imaginava para o bom velhinho, lá eu de novo dizendo que ele é bom, outra função mais pertinente, nestes tempos sombrios, do que distribuir presentes. Outro destino.

 

É que pensando bem, depois de olhar para o nosso quadro eleitoral, as cinzentas perspectivas para 2018 onde a nossa escolha parece reduzida a candidatos cujo perfil é o de ladrões, apedeutas, déspotas e aluados, nada melhor do que Papai Noel para Presidente do Brasil. Embarco nessa, conto com você na minha campanha e já fico por aqui antes que me surrupiem o trenô que está lá fora me esperando.

Nelson Cadena

Nelson Cadena

Colunista

Escritor, jornalista e publicitário.
Mais artigos

Puskas e a liderança em tempos de lifelong learning

Durante minha participação na Conferência Global da AMBA (Association of MBAs) em Budapeste, na Hungria, lembrei de Ferenc Puskás, ícone do futebol dos anos 1950. Para os mais jovens, isso pode parecer estranho, mas explico a relação. Não vi Puskás jogar, mas nasci...

ler mais

Está na moda ser publicitário de novo. E você sabe porquê?

Você sabe como os influenciadores ganham dinheiro? E quem paga a assinatura da Netflix pela metade do preço? E aquele post sensacional do prédio novo? E o vídeo do mais novo lançamento da Apple? E a ação de marketing do novo carro da Tesla? Pois é meus amigos e minhas...

ler mais

Axé para quem é de Axé! Axé, Anitta!

A perda de seguidores após uma revelação religiosa pode ser encarada como um verdadeiro livramento divino. Aqueles que se afastam de nós nesse momento estão apenas mostrando que não estavam verdadeiramente alinhados com nossos valores e crenças mais profundas. É...

ler mais

IA na Publicidade: Estímulo ou Ameaça à Criatividade? 

O mundo da publicidade vive uma revolução com o avanço da Inteligência Artificial (IA), especialmente no campo da IA generativa (GenAI), que traz uma disrupção para a forma como o trabalho criativo e analítico é feito. Isso gera desejo e medo nos profissionais da...

ler mais

Seja bem-vinda Madonna, e volte mais vezes.

Sou educado, mas não me julgue, pois não assisti ao show ou me empolguei com a artista no Brasil. Motivo – não gosto muito desse tipo de evento miraculoso, que envolve mais encenação do que recursos e talentos em si. Todavia, isso não invalida a minha noção de que a...

ler mais

WEB SUMMIT: o que o summit dos summits resolve pro Brasil?

Para saber agora mesmo se você faz parte da bolha dos bem-sucedidos é simples: abra o LinkedIn e veja se no seu feed alguma das últimas cinco publicações é sobre o Web Summit.O summit dos summits aconteceu entre os dias 16 e 18 de maio, no Rio de Janeiro. Nos palcos,...

ler mais

junte-se ao mercado