“O bom filho a casa torna”

jul/2022

Esta semana assumi, oficialmente, o meu novo desafio que descrevi na coluna do mês anterior. E, para a surpresa da maioria, estou retornando à instituição que fez eu me tornar professora, me auxiliou no direcionamento aos estudos de marketing e comportamento e que fez parte por 11 anos da minha vida. Grande parte das pessoas se assustaram com a minha decisão, outras disseram que eu era louca e alguns poucos que eu tinha feito a coisa certa.

Entretanto, o que mais me instiga, é que alguns comentários vêm no sentido: “ah, não aguentou e retornou….”; “então, sempre soube que tu só era ESPM”; ou ainda “bem-vinda de volta”. Mas vou explicar o que me instiga e porque não concordo com esses comentários. Primeiro, estou voltando para assumir novas posições e novos desafios; Segundo, eu sou do mundo, sempre amei a ESPM sim, mas como sempre amarei a PUCRS e todas instituições que me fizeram crescer e ser quem eu sou; Terceiro, estou retornando a um grupo mas não a mesma casa.

Esse texto vem mais no tom de desabafo mesmo, acredito muito naquele velho ditado que diz: Fique onde você está feliz e te valorizam. Então, retorno a casa ESPM sim, com maior orgulho, mas com um significado muito mais intenso e caloroso do que da outra vez. Pois agora estou indo para a cidade onde sempre quis, como coordenadora de um time maravilhoso, com o desafio de manter o sucesso que o curso já tem.

Sim, tenho o DNA da ESPM Sul de 2009 até 2019, tenho o DNA do meu pós doutorado no PPGA/ESPM SP de 2017 a 2019. Mas agora estou pronta para construir um novo DNA da ESPM SP!!! Obviamente que o DNA antigo facilitará muito nessa nova construção, mas eu enxergo esse meu retorno como uma reinvenção, uma nova vida, de algo que sempre almejei mas que sempre fora tão distante.

Finalizo esta coluna com imensa gratidão aos 3 anos que tive na PUCRS, minha maior escola profissional, e uma universidade que sempre estará no meu coração. E com a mesma gratidão com a acolhida que tenho recebido na minha NOVA CASA e na Terra da Garoa. Afinal, o bom filho a casa torna, mas torna diferente, mais experiente e com muita vontade de fazer acontecer!!!

_______________
O conteúdo e opinião publicados neste artigo são de inteira responsabilidade do autor ou autora.

Fred Mette

Fred Mette

Colunista

Doutora em administração, amante e atuante nas áreas de finanças, marketing, empreendedorismo e inovação. Possui com experiência em consultoria, avaliação de negócios e planejamento estratégico e financeiro. Sócia e idealizadora da U-Plan Startup. Seus interesses de pesquisa incluem, principalmente, psicologia econômica, endividamento e bem-estar financeiro. Atualmente é professora e coordenadora do curso de Administração na ESPM SP.

Mais artigos

Axé para quem é de Axé! Axé, Anitta!

A perda de seguidores após uma revelação religiosa pode ser encarada como um verdadeiro livramento divino. Aqueles que se afastam de nós nesse momento estão apenas mostrando que não estavam verdadeiramente alinhados com nossos valores e crenças mais profundas. É...

ler mais

Não era amor. Era pix. A relação por interesse.

Em um mundo cada vez mais movido por interesses e conveniências, é comum nos depararmos com relacionamentos que se baseiam em trocas e benefícios mútuos, em detrimento de sentimentos genuínos e conexões emocionais reais. O que antes era conhecido como amor, agora...

ler mais

O furar bolhas necessário se cada dia

Você ainda acredita que furar bolhas é mimimi? Acorde, viu! Furar bolhas é fundamental para se tornar um profissional completo e capaz de agregar valor em sua área de atuação. Ao se manter restrito em um determinado ambiente, sem buscar experiências e conhecimentos...

ler mais

junte-se ao mercado