Perspectivas da publicidade sobre o que virá

dez/2023

Uma frase antiga diz que “a publicidade é a alma do negócio”. Podemos extrapolá-la e dizer que “a publicidade é a alma da economia”. A indústria publicitária realiza atividades que são “meio” para gerar demanda e agregar valor às atividades fins de outros setores, sendo assim, muito integrada ao restante da economia. O mercado publicitário estará tanto mais aquecido quanto mais acelerado estiver o crescimento econômico. Como a performance da economia real é altamente influenciada pelas expectativas, avaliar as perspectivas dos agentes da publicidade, que são diuturnamente provocados pelas expectativas de outros setores, traz informações relevantes para fazer projeções sobre o futuro.

Antes disso, vale trazer alguns dados sobre a relevância do mercado publicitário. Segundo pesquisa a ABAP, o setor gera cerca de 500 mil empregos no país, tendo um impacto no PIB superior a R$ 400 bilhões. Para cada real investido em publicidade, são gerados R$ 8,54 na economia como um todo. Olhando especificamente para a Bahia, as 1500 empresas do setor empregam 12 mil pessoas e contribuem com cerca de R$ 15 bilhões para o PIB baiano.

Olhando para o desempenho deste ano, o mercado publicitário cresceu, segundo a Kantar, 10% no primeiro semestre, puxado pelos investimentos feitos pelos setores automotivo, de bebidas, beleza e turismo. Segundo o IAB Brasil, 63% das empresas esperam ampliar os investimentos em publicidade, com as de pequeno e médio porte mais dispostas a investir que as maiores.

De maneira geral, são boas as perspectivas para o setor da publicidade. Entretanto, esse diagnóstico não é conclusivo, já que incertezas macro têm impactam. Por outro lado, no que se refere aos aspectos intrínsecos do setor, o cenário é benigno: a publicidade tem sido líder na disrupção tecnológica, incorporando IA em suas atividades, trazendo a chamada TV 3.0, digitalizando o Out Of Home, e tornando o consumo de áudio multiplataforma. Da mesma forma, temos compreendido as novas demandas geracionais, desde o perfil da Geração Z, ao potencial da geração grisalha (grey power).

Em resumo, a publicidade tem conseguido apresentar um desempenho superior ao do PIB, em parte pela sua capacidade de inovar, trazendo soluções ajustadas a cada momento do ciclo econômico e da evolução da sociedade. As perspectivas são de uma melhora gradativa da atividade, mas este cenário não está plenamente contratado: há muito trabalho a fazer para que ele se realize. Estamos prontos, de corpo e alma, para contribuir para esta melhora.

Artigo originalmente postado na coluna Made In Bahia do Jornal A Tarde

_______________
O conteúdo e opinião publicados neste artigo são de inteira responsabilidade do autor ou autora.

Lucas Reis

Lucas Reis

Colunista

Presidente da ABMP, CEO da Zygon e Doutor em Comunicação pela Universidade Federal da Bahia

Mais artigos

Consumo insustentável na sociedade do excesso

Recentemente, fui convidado pelo Instituto Multiversidad Popular, em Posadas, na capital da Província de Missiones, na Argentina, para falar para os alunos de curso de pós-graduação. A missão da “Multi”, como a instituição é carinhosamente conhecida, é difundir...

ler mais

A potência oculta dos ritos de passagem

Vocês já repararam quantos ritos celebramos nos meses do verão? A temporada começa antes do Natal. Sagrados ou profanos, eles estão presentes nas tradicionais confraternizações que demarcam o fim do ano laboral, com os lúdicos “amigos-secretos”, típicos ritos “de...

ler mais

Priorizar a saúde mental

Foi há uns tantos anos atrás, eu atuava em um RH do Polo Petroquímico de Camaçari, foi quando escutei um operário chamar um colega de chão de fábrica, de Tarja Preta. Rodrigo era seu nome e ele havia usado antidepressivos ao longo de um período da doença. O bastante...

ler mais

Os saveiros e a aceleração social do tempo

Um dos produtos mais misteriosos que os mestres de saveiros transportavam nos barcos ancorados no Porto da Barra de minha infância era o Tempo. Traziam todo tipo de mercadoria para abastecer a feira livre do bairro, vindos das mais longínquas praias, muito além da...

ler mais

junte-se ao mercado