Profissionais do futuro, negligentes ao presente

jun/2023

O profissional contemporâneo vive preocupado sobre o que precisa fazer para ser o ‘especialista do futuro’. Habilidades sociais, tecnologia, leitura de dados, capacidade analítica, legislação e programação estão entre as competências necessárias para quem quer sobreviver – e se destacar – em um mundo inegavelmente mais competitivo.

Enquanto antes a sua competência deveria sobressair ao do seu colega, hoje você precisa mostrar que a humanidade não pode ser absorvida por nenhuma máquina, uma vez que já é impossível competir com a velocidade e o armazenamento de dados tecnológicos dos nossos computadores.

Acontece que, preocupados com o futuro, alguns profissionais estão negligenciando as habilidades necessárias da atualidade, provocando uma onda de talentos não compreendidos devido à sua alta capacitação técnica X o que as organizações podem oferecer.

[Vale ressaltar que quando digo “à sua alta capacitação técnica”, me refiro à forma como o profissional costuma se perceber, e não necessariamente como ele efetivamente é.]

Enquanto precisamos de profissionais com grande capacidade de adaptabilidade, senso de grupo, proatividade, olhar diverso, competência técnica e senso crítico, muitos profissionais jovens focam o desenvolvimento em áreas tecnológicas, se distanciando da capacidade relacional entre indivíduos e fragilizando aspectos essenciais como empatia, comunicação, assertividade, cooperação e criação de vínculos.

Com 7 anos de empresa, tenho visto excelentes especialistas técnicos, com frágeis habilidades sociais – e o mesmo ocorre no avesso. Para que possamos de fato pensar em corpo técnico qualificado para o futuro, é necessário que tenhamos profissionais em formação contínua e adaptada, reconhecendo a contemporaneidade, considerando o passando e se preparando para o futuro.

_______________
O conteúdo e opinião publicados neste artigo são de inteira responsabilidade do autor ou autora.

Rodrigo Almeida

Rodrigo Almeida

Colunista

Relações Públicas, Mestre em Gestão e Tecnologia Industrial, Professor Universitário e Diretor da agência CRIATIVOS.

Mais artigos

Axé para quem é de Axé! Axé, Anitta!

A perda de seguidores após uma revelação religiosa pode ser encarada como um verdadeiro livramento divino. Aqueles que se afastam de nós nesse momento estão apenas mostrando que não estavam verdadeiramente alinhados com nossos valores e crenças mais profundas. É...

ler mais

Não era amor. Era pix. A relação por interesse.

Em um mundo cada vez mais movido por interesses e conveniências, é comum nos depararmos com relacionamentos que se baseiam em trocas e benefícios mútuos, em detrimento de sentimentos genuínos e conexões emocionais reais. O que antes era conhecido como amor, agora...

ler mais

O furar bolhas necessário se cada dia

Você ainda acredita que furar bolhas é mimimi? Acorde, viu! Furar bolhas é fundamental para se tornar um profissional completo e capaz de agregar valor em sua área de atuação. Ao se manter restrito em um determinado ambiente, sem buscar experiências e conhecimentos...

ler mais

O que o povo não sabe, não destrói.

Ei! O que você anda postando em redes sociais digitais? Até que ponto é válido postarmos tudo o que fazemos? Bora refletir. Em tempos de redes sociais digitais, é comum nos depararmos com a tentação de compartilhar cada detalhe de nossa vida online. No entanto, é...

ler mais

junte-se ao mercado