Quanto você está disposto a pagar por um descuido em sua carreira?

dez/2019

Uma palavra feia e de pronúncia chata vem sendo apontada como vilã da eficiência corporativa: procrastinação. Empurrar com a barriga é um velho hábito de muitos mortais! Principalmente, quando não se vê um motivo que justifique a fadiga imediata. Se tenho emprego, para que currículo? Se os negócios vão bem, não preciso investir em network. E para que perder tempo com o LinkedIn se meus amigos estão no Facebook? A questão é que todas essas ações, que são tão caras a empregabilidade, devem ser executadas de forma sistemática quando as ideias estão claras e a autoestima elevada. Afinal, trabalhar imagem e reputação em meio a uma crise profissional não parece uma boa ideia! Faz-se necessário discutir alguns pontos visando desconstruir paradigmas. 

 

Redigir um bom currículo não é o mesmo que preencher um formulário baixado da Internet. Os profissionais de RH têm muitos documentos para analisar. Obtém destaque os mais bem estruturados, que estabelecem relação entre o objetivo profissional, os valores da empresa e as experiências de mercado do candidato. O que o torna mais interessante é quando se destaca os resultados verdadeiros e positivos alcançados com as experiências. Mas, esses dados nem sempre são lembrados por quem está se sentindo preterido, injustiçado ou simplesmente perdido. 

 

Networking não é uma rede formada por amigos que nunca se encontram, mas nutrem milagrosamente um afeto mútuo e eterno. A rede profissional é formada por conexões fortes e também fracas. A ligação com um conhecido pode, em determinados casos, ter até mais relevância do que com a de um amigo de infância. Todos os vínculos precisam ser alimentados para que a partir destes, seus membros possam extrair valor, significado. Existem inúmeras técnicas de networking o mais interessante é que elas sejam praticadas de forma perene em momentos em que se possa, primeiramente, oferecer apoio e não pedir. Uma vez construída uma rede consistente, você poderá utilizá-la para os mais variados fins. 

O LinkedIn há muito deixou de ser um site de currículo para quem busca emprego para se transformar na maior rede de relacionamento profissional do mundo. Pode sim ser usada para a publicação de um currículo vivo e criação de uma network valorosa. Mas não só isso. Essa rede é estratégica para estabelecer relevância profissional, fortalecer uma marca pessoal e construir reputação. Neste espaço pode-se consumir e produzir conteúdo visando conseguir boas colocações e também bons negócios. Não basta fazer um perfil e esquecer. É preciso interagir de forma inteligente e com frequência. 

Por tudo isso, recomendo mesmo que você esteja confortável na sua profissão não procrastine o início destas atividades. Num cenário volátil e dinâmico é inteligente se preparar. Não apenas para tempos difíceis, mas sobretudo para oportunidades melhores. 

Alessandra Calheira

Alessandra Calheira

Colunista

Mestre em Comunicação e Cultura Contemporâneas, na linha de Cibercultura, pela UFBA; Especialista em Marketing pela ESPM e Publicitária pela UCSal. É sócia fundadora da Proxima e consultora para Gestão Educacional e Empregabilidade da Rede FTC. É ainda professora da Pós-Graduação da UNIFACS e colunista do Bahia Notícias.

Atuou como criativa e redatora publicitária quando foi laureada com um Leão no Festival Internacional de Cannes, com uma medalha no Clube de Criação de São Paulo, Top de Marketing da ADVB, entre outros.

Mais artigos

Está na moda ser publicitário de novo. E você sabe porquê?

Você sabe como os influenciadores ganham dinheiro? E quem paga a assinatura da Netflix pela metade do preço? E aquele post sensacional do prédio novo? E o vídeo do mais novo lançamento da Apple? E a ação de marketing do novo carro da Tesla? Pois é meus amigos e minhas...

ler mais

Axé para quem é de Axé! Axé, Anitta!

A perda de seguidores após uma revelação religiosa pode ser encarada como um verdadeiro livramento divino. Aqueles que se afastam de nós nesse momento estão apenas mostrando que não estavam verdadeiramente alinhados com nossos valores e crenças mais profundas. É...

ler mais

IA na Publicidade: Estímulo ou Ameaça à Criatividade? 

O mundo da publicidade vive uma revolução com o avanço da Inteligência Artificial (IA), especialmente no campo da IA generativa (GenAI), que traz uma disrupção para a forma como o trabalho criativo e analítico é feito. Isso gera desejo e medo nos profissionais da...

ler mais

Seja bem-vinda Madonna, e volte mais vezes.

Sou educado, mas não me julgue, pois não assisti ao show ou me empolguei com a artista no Brasil. Motivo – não gosto muito desse tipo de evento miraculoso, que envolve mais encenação do que recursos e talentos em si. Todavia, isso não invalida a minha noção de que a...

ler mais

WEB SUMMIT: o que o summit dos summits resolve pro Brasil?

Para saber agora mesmo se você faz parte da bolha dos bem-sucedidos é simples: abra o LinkedIn e veja se no seu feed alguma das últimas cinco publicações é sobre o Web Summit.O summit dos summits aconteceu entre os dias 16 e 18 de maio, no Rio de Janeiro. Nos palcos,...

ler mais

Não era amor. Era pix. A relação por interesse.

Em um mundo cada vez mais movido por interesses e conveniências, é comum nos depararmos com relacionamentos que se baseiam em trocas e benefícios mútuos, em detrimento de sentimentos genuínos e conexões emocionais reais. O que antes era conhecido como amor, agora...

ler mais

junte-se ao mercado