Uma historinha para cobrir a falta de assunto

abr/2018

Definitivamente estou sem assunto e isso me preocupa. Quando falta assunto é por que sobra preguiça, mas, para vocês não saírem por aí me imputando esse pecado capital, melhor eu contar uma historinha, juro que não é ficção, ou, mais de uma, por que não?

Aconteceu em Juazeiro nos anos 80. O jornal A Tarde preparava um caderno especial sobre o município. O representante na cidade correu o comércio para vender anúncios, porém, um cliente em especial, proprietário de uma loja de eletrodomésticos, não gostou do leiaute que lhe foi apresentado pela sucursal do jornal como sugestão.

Refeito o leiaute o cliente novamente recusou e ao longo da semana, já próximo do fechamento publicitário, nada dele se decidir. Todas as opções eram descartadas. O jeito foi um dos corretores do jornal tentar resolver o impasse. Ligou para o cidadão, ouviu as queixas. Ele queria que o anuncio tivesse a foto da fachada da loja, toda ela, o que era impossível pois uma imensa árvore cobria boa parte. O corretor de brincadeira falou: “só o senhor cortando a árvore”.

O cidadão não pensou duas vezes. Mandou cortar a amendoeira e ligou para o jornal: “Pode vir fazer a foto, cortei a árvore, pois não quero ficar de fora desse caderno especial”.

A outra historinha aconteceu em Salvador, na década de 90. A Tarde tinha encomendado à Publivendas/Engenhonovo uma campanha comunitária para a Semana do Trânsito, que seria assinada pela A Tarde e a Copene, esta pagaria os custos. Para ganhar tempo a agência fez dois leiautes, um para apresentação a Arthur Couto, diretor do jornal, outro para apresentação na Copene, no mesmo dia e hora.

Ocorre que Arthur Couto amou a campanha e foi logo dizendo:

– Está aprovada, mas, tirem a Copene, não quero dividir os créditos.

Fernandinho Passos, ponderou:

– Não dá Arthur, agora mesmo Tarcísio do atendimento está a caminho do Polo.

A reação de Arthur foi rápida: Qual é o carro dele e como é ele? Mal Fernandinho tinha acabado de responder, Arthur pegou o telefone e ligou para o comandante da Polícia Militar:

– Coronel, preciso que me prenda um sujeito de óculos que vai passar ai no posto policial da Via Parafuso, ele está num Monza azul escuro.

— O que ele fez Arthur?

— Nada, é gente boa. Nosso amigo. Mas não pode chegar de jeito nenhum em Camaçari. Peça aos policiais para mandar ele retornar e se apresentar no jornal A Tarde.

Tarcísio tomou um baita susto e como naquele tempo não existia celular precisou ir ao jornal para saber o que estava acontecendo. Sobrou para a agência que teve que inventar uma desculpa para o marketing da Copene e criar às presas outra campanha para apresentar no dia seguinte.

Nelson Cadena

Nelson Cadena

Colunista

Escritor, jornalista e publicitário.
Mais artigos

Está na moda ser publicitário de novo. E você sabe porquê?

Você sabe como os influenciadores ganham dinheiro? E quem paga a assinatura da Netflix pela metade do preço? E aquele post sensacional do prédio novo? E o vídeo do mais novo lançamento da Apple? E a ação de marketing do novo carro da Tesla? Pois é meus amigos e minhas...

ler mais

Axé para quem é de Axé! Axé, Anitta!

A perda de seguidores após uma revelação religiosa pode ser encarada como um verdadeiro livramento divino. Aqueles que se afastam de nós nesse momento estão apenas mostrando que não estavam verdadeiramente alinhados com nossos valores e crenças mais profundas. É...

ler mais

IA na Publicidade: Estímulo ou Ameaça à Criatividade? 

O mundo da publicidade vive uma revolução com o avanço da Inteligência Artificial (IA), especialmente no campo da IA generativa (GenAI), que traz uma disrupção para a forma como o trabalho criativo e analítico é feito. Isso gera desejo e medo nos profissionais da...

ler mais

Seja bem-vinda Madonna, e volte mais vezes.

Sou educado, mas não me julgue, pois não assisti ao show ou me empolguei com a artista no Brasil. Motivo – não gosto muito desse tipo de evento miraculoso, que envolve mais encenação do que recursos e talentos em si. Todavia, isso não invalida a minha noção de que a...

ler mais

WEB SUMMIT: o que o summit dos summits resolve pro Brasil?

Para saber agora mesmo se você faz parte da bolha dos bem-sucedidos é simples: abra o LinkedIn e veja se no seu feed alguma das últimas cinco publicações é sobre o Web Summit.O summit dos summits aconteceu entre os dias 16 e 18 de maio, no Rio de Janeiro. Nos palcos,...

ler mais

Não era amor. Era pix. A relação por interesse.

Em um mundo cada vez mais movido por interesses e conveniências, é comum nos depararmos com relacionamentos que se baseiam em trocas e benefícios mútuos, em detrimento de sentimentos genuínos e conexões emocionais reais. O que antes era conhecido como amor, agora...

ler mais

junte-se ao mercado