>

Responsabilidade Social é um compromisso individual

out/2018

A responsabilidade social é um compromisso de todos. Ao assumirmos isso, o exercício da cidadania sai do campo da teoria e vai para a prática. Afinal, todos podemos realizar ações em prol do coletivo.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na pesquisa Outras formas de trabalho 2017, 7,4 milhões de pessoas realizam trabalho voluntário no país, o equivalente a 4,4% da população com 14 anos de idade ou mais. Só na Bahia, são 540 mil pessoas dedicadas ao voluntariado, o que corresponde a 3,5% da população do estado na mesma faixa etária.

Na Santa Casa da Bahia, instituição reconhecida por sua atuação social, ética e transparente, temos hoje cerca de 200 voluntários atuantes nas unidades em diversas áreas como contadores de histórias, palhaços, músicos, aplicadores de reiki, massoterapeutas, instrutores de artesanato, pintura, culinária e dança, além daqueles que atuam no apoio administrativo.

Ser voluntário requer disponibilidade, tempo e entrega de si para ajudar outras pessoas. Mas é possível encontrar também diversas maneiras diferentes de fazer o bem. As doações em dinheiro apoiam e muitas vezes sustentam diversas instituições e, por isso, é a opção escolhida por muitas pessoas. No Grupo de Apoio à Criança com Câncer (GACC-Ba), temos cerca de 10 mil doadores mensais, que contribuem de forma significativa para o suporte oferecido às famílias das crianças e jovens na luta contra a doença. Segundo dados da Pesquisa Doação Brasil, encomendada ao Instituo Gallup pelo Instituto pelo Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS), os brasileiros doam em torno de R$ 20,00 a R$ 40,00 por mês, o que totaliza 13 bilhões de reais em doações de pessoa física por ano. O Nordeste foi apontado pelo levantamento como a segunda região do país que mais doa.

Cuidar da natureza e do ambiente que nos rodeia, atuando para garantir a sustentabilidade e um planeta melhor para as próximas gerações é outra maneira de exercitarmos nossa responsabilidade social. Segundo pesquisa realizada pela Gfk (Growth for Knowledge), cresceu a preocupação do brasileiro com o impacto ambiental dos produtos que consome. 57% dos entrevistados declaram que se sentem culpados quando fazem algo que desrespeita o meio ambiente e também 53% afirmaram que onde e como um produto é produzido é muito importante para eles na hora de decidir o que levam para casa.

Portanto, existem diversas maneiras de nos conectarmos com o próximo e exercitarmos nosso compromisso social. Assuma sua responsabilidade na construção de um mundo melhor e vá para o campo de ação!

Roberto Sá Menezes

Roberto Sá Menezes

Colunista

Provedor da Santa Casa da Bahia, fundador e presidente do Grupo de Apoio à Criança com Câncer da Bahia (GACC-BA), membro do Conselho Fiscal da Associação Obras Sociais Irmã Dulce (AOSID) e do Conselho Consultivo da Confederação das Santas Casas de Misericórdia do Brasil (CMB).

 

Mais artigos

A infantilização da fé e do sagrado

Nos anos 70, muitos jovens frequentavam o Mosteiro de São Bento da Bahia, um espaço privilegiado de espiritualidade cristã e intensa experiência cultural. Lembro de uma surpreendente jornada de cinema de arte promovida por Dom Bernardo, um monge beneditino com mente...

ler mais

Três aniversariantes

É hora de ascender as velhinhas e comemorar. Três importantes veículos de comunicação da terra comemoram este ano marcos cronológicos de sua fundação: Correio *, TV Aratu e Tribuna da Bahia. O Correio* que nasceu Correio da Bahia, em 15/01/1979, já festeja os seus 40...

ler mais

Espiritualidade e competição no mundo corporativo

Recentemente, no centro espírita, vivi experiências que me levaram a refletir sobre como nossos espaços vão sendo estabelecidos na dinâmica das relações do mundo corporativo. Aos que não sabem, é práxis, ao fim da doutrinária, a distribuição de copinhos d'água...

ler mais

Comemorações Institucionais: 470 anos a serviço do bem

De acordo com dados do Sebrae divulgados no fim do ano passado, o percentual de sobrevivência de empresas no Brasil é preocupante. A cada quatro abertas, uma fecha antes de completar dois anos de existência no mercado. Estes 25% representam não apenas o momento atual,...

ler mais

Janeiro, fevereiro e março

Janeiro foi um mês consagrado ao Deus Janus, daí a sua denominação, divindade das portas e dos portões, é clara a simbologia da porta que abre um novo ciclo. A sua representação iconográfica era curiosa: um Deus olhando para frente e para trás, para o futuro (o ano...

ler mais

Brasil 2019: entre Cassandra e Poliana

Pobre Cassandra, ninguém lhe dá ouvidos, ninguém mais acredita em suas profecias, parece que ela só sabe criticar e torcer contra. Por mais que grite e demonstre com firmeza o que está por vir, ninguém aposta uma ficha sequer em  sua clarividência. Ainda que ela...

ler mais

junte-se ao mercado