>

jun/2018

Base histórica do começo da economia do Brasil, conhecido por sua grande diversidade cultural, o Nordeste ainda é uma região com potencial pouco explorado de acordo com Eder Galindo, head de canais e engajamento da Ideia 3, e Suely Temporal, jornalista e sócia-diretora da Agência de Textos, convidados da décima edição do Quem Sabe Faz a Live. O programa online organizado pela Associação Baiana do Mercado Publicitário – ABMP, reuniu os especialistas para discutir as oportunidades de negócio da região, nesta terça-feira (19). Nesta edição, o programa foi apresentado por Jéssica Smetak, jornalista e apresentadora da TV Record, e pelo publicitário Pedro Valente.

Com o São João chegando, os especialistas falaram sobre o pouco aproveitamento da festa junina. “O Nordeste ainda está muito na questão das praias, do litoral. Não se vê lá fora [outras regiões do país] o São João como um produto turístico”, levantou Galindo. Suely concordou e criticou o pouco investimento, pois, para a jornalista, o evento movimenta diversos setores da economia, como o alimentício, de vestuário, turístico, etc. Ainda em relação aos ganhos na economia, ela chegou a comparar a festa junina com a temporada de presentes natalinos: “O São João no Nordeste vende, às vezes, tanto quanto o Natal. É quando as pessoas saem de suas casas na capital para visitar os parentes no interior. Existe um fluxo migratório temporário alto”.

Quando questionados sobre os desafios para promover essa projeção do São João para o Nordeste ser mais visto, os convidados admitiram as dificuldades. Foi apontada a necessidade de um trabalho meticuloso de entendimento dos potenciais turistas para esse apelo. “Nordestinos que estão lá fora, pessoas que gostam de música do Nordeste. Não é uma programação rápida para convencer as pessoas. No geral, o São João vira um produto cultural do nordestino para o nordestino”, explicou Galindo.

Ana Coelho, Eder Galindo, Jéssica Smetak, Suely Temporal e Pedro Valente

Também foram discutidos os obstáculos geográficos, justamente, por conta da riqueza cultural da região. É preciso saber conversar com o público de cada localidade para convencê-lo a comprar um determinado produto/serviço. Diante disso, Galindo diz que é preciso tentar compreender onde está o mercado prioritário daquele produto e utilizar mídias de apoio. Suely concordou, mas também expôs dois grandes problemas do mercado atual: “Vender mais para quem já é seu consumidor, ou vender para quem ainda não comprou?”, questionou. Ambos falaram da importância de contratar uma agência local para conversar com o público e investir no estudo da identidade nordestina para obter resultados mais eficientes.

Para assistir a live na íntegra e ficar por dentro de todas as discussões da região do país com o maior número de estados, basta acessar a página da ABMP no Facebook (www.facebook.com /abmpbahia) ou conferir no vídeo abaixo. O próximo programa, sempre ao vivo, às 16h, acontece no dia 17 de julho.